Evolução Cronológica da Ciência


1788 – Descoberta da primeira vacina

Há muito tempo a varíola matou um décimo das crianças da Grã-Bretanha. Remédios populares e perigosos ajudavam a proteger algumas delas, mas foi a gabarolice de uma jovem leiteira que levou o médico inglês Edward Jenner a descobrir um remédio seguro. Graças à sua descoberta de uma vacina em 1788, actualmente ninguém morre de varíola.

Varíola – é uma doença caracterizada por febres muito altas e erupção cutânea vermelha-viva, que por vezes matava em dois dias. As bexigas deixavam cicatrizes naqueles que tinham a sorte de sobreviverem. Edward Jenner conhecia muitas curas tradicionais e tinha já ouvido dizer que as pessoas protegiam os filhos esfregando pus de uma bexiga de varíola em arranhões na pele, mas também sabia que este “tratamento” transmitia frequentemente a doença em vez de a prevenir.Jenner constatou que os seus pacientes que já tinham tido varíola bovina (menos grave) , não apanharam varíola. Para comprovar que a varíola bovina protegia as pessoas da varíola, em 1796, Jenner infectou uma criança saudável com varíola bovina. Passado algum tempo repetiu a experiência mas desta vez com varíola e para sua felicidade a criança não contraiu a doença. A varíola bovina tinha tornado o rapaz imune à varíola. Actualmente o método de vacinação de Jenner protege-nos de muitas doenças perigosas e fatais. Em vez de varíola bovina, os médicos injectam uma forma especialmente enfraquecida da própria doença.

1856 – Mendel descreve as leis básicas da hereditariedade

1869 – Descoberta do DNA

A descoberta do DNA ocorreu em 1869 por um bioquímico alemão Johann Fredrich Miescher.

Durante a sua pesquisa, Miescher procurava determinar os componentes químicos do núcleo celular e usava glóbulos brancos contidos no pus. Os glóbulos brancos eram um bom material pois são as células que podem ser facilmente isoladas do cioplasma.

Analisando os núcleos, Miescher descobriu a presença de um composto de natureza ácida que era desconhecido até o momento. Esse composto era rico em fósforo e em azoto.

Nove anos depois, Richard Altmann, aluno de Miescher, obteve a nucleína com alto grau de pureza, comprovando sua natureza ácida e dando-lhe, então, o nome de ácido nucléico.

Os estudos dos ácidos nucléicos continuaram por muitos anos sem que os cientistas soubessem de sua importância como material hereditário, descoberta que só foi realizada muitos anos depois.

1927 – Herman J. Muller comprovou que os raios X podiam causar mutações e modificar o DNA 1928 – Descoberta do primeiro antibiótico

Graças a um feliz acidente em 1928, o médico escocês Alexander Fleming descobriu uma das mais poderosas armas da medicina no combate os germes: a penicilina. No entanto só quando o investigador australiano Howard Florey encontrou as notas de Fleming numa biblioteca, é que o bolor salva-vidas de tornou em medicamento.Após ter abandonado caixas de petri cheias de geleia no laboratório, Fleming reparou que uma das caixas tinha um aspecto diferente das outras, pois tinha crescido uma mancha de bolor e à sua volta a geleia não apresentava qualquer bactéria.Fleming percebeu que o bolor estava a matar as bactérias e pensou que poderia ser uma forma de curar doenças causadas por bactérias.A produção maciça de penicilina só começou quando foi necessária para salvar vidas de soldados na Segunda Guerra Mundial.A penicilina é o primeiro de um grupo de medicamentos a que chamamos de antibióticos e revelou-se um medicamento salva-vidas.

1953 – Utilização da máquina coração-pulmão em humanos

A máquina coração-pulmão artificial é capaz de substituir as funções do coração por um determinado período de tempo.Esta máquina, usada pela primeira vez em humanos em 1953 revolucionou o ramo da cirurgia ao dar aos médicos uma hora ou mais para operar um coração parado. Nas técnicas anteriores, esse tempo caía para menos de 15 minutos.

1970 – Descoberta de métodos de corte e ligação de fragmentos de DNA

1977 – Constituiu-se a Genetech, primeira empresa do mundo a fazer medicamentos com DNA recombinante (r DNA)

1978 – Premio Nobel aos descobridores das enzimas de restrição.

1979 – Constrói-se a primeira fábrica industrial para produzir insulina

1980 – Kary Mullis concebe a reacção em cadeia de polimerase – técnica de PCR

1984- Criado o primeiro teste de identificação genética, o DNA fingerprinting

1987 – Descoberta do gene que controla o crescimento celular

Para descobrir uma maneira de controlar o crescimento celular, e talvez uma cura para o cancro, o investigador Paul Nurse observou, em 1974, uma levedura.

O gene do cancro
Nurse procurava um gene que controlasse o crescimento celular e em 1974, ocorreu-lhe uma forma de facilitar o seu trabalho: e se outros seres vivos dependessem do mesmo gene para controlar o crescimento celular? Talvez estudando algo mais simples pudesse descobrir o que acontecia nas células humanas. Nurse escolheu a levedura, um organismo minúsculo que tem um código genético 80 vezes mais simples que o DNA humano.

Na década de 80 a sua equipa já tinha descoberto o gene que controlava o crescimento celular na levedura, tendo-lhe chamado cdc2, mas só em 1987 Paul Nurse descobriu o gene cdc2 no DNA humano.

As previsões confirmavam-se: os genes da levedura e dos seres humanos eram quase idênticos.A investigação de Nurse não levou a uma cura imediata para o cancro, mas fornece aos cientistas umas nova forma preciosa de estudar a doença. Apesar de muitos anos de investigação ainda sabemos muito pouco sobre o cancro.

Nurse espera descobrir como é que as células cancerígenas se dividem descontroladamente, e impedi-las de crescer sem prejudicar os órgãos saudáveis.

Por sabermos tão pouco sobre o cancro, os tratamentos actuais são simples. A maior parte deles utiliza a cirurgia, a radiação, ou venenos para matar ou retirar o tumor. Pau Nurse acredita que no futuro “estes métodos parecerão tão primitivos como abanar um relógio parado para tentar pô-lo a funcionar”.

Paul Nurse: é um especialista em biologia celular, que nasceu em Inglaterra em 1949.O seu trabalho foi um progresso enorme na ciência, e é tão importante que em 2001 recebeu um prémio Nobel – o maior prémio da ciência – juntamente com outro cientista.

1989 – Primeiras plantas transgénicas que produzem proteínas contra doenças humanas

1990 – Primeiro procedimento de uma terapia genética

1993 – Jerry Hall clona um embrião humano

1999 – Decifrado o primeiro cromossoma humano, 22

2000 – O genoma humano é dado por decifrado

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s